Crônica | Ficção

E a tinta chega ao papel com a forma das letras – aqui, apressadamente desenhadas para que não se percam.

O que me interessa são os sons que atravessam um ouvido dourado. E assim se escreve a lenta e lenta história de uma vida.

Estas são algumas confissões inventadas e vividas. Ficção fixando no chão um caminho. Importam essas marcas que, se não são realidade, se realizam. Para cada ouvido de leitor, elas sussurram um segredo só seu, só meu, ali.

Alice C.

shh

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: