Nova coluna: Conversações – Ação Dobradiça da EBP

Logo

 

 

Para dar início a essa nova coluna do Blog da Subversos, algumas palavras para situar seu objeto:

Em 2015, a Subversos se articulou à diretoria nacional da Escola Brasileira de Psicanálise para pensar a possibilidade de darmos início a rodas de conversas em torno de alguns temas que vêm ressoando cultural e politicamente (no sentido mais vasto da palavra) em nosso país. Ana Lucia Lutterbach Holck, atual diretora geral da EBP, não apenas acolheu a ideia com entusiasmo, como também a pensou em uma amplitude muito maior do que a que inicialmente havíamos desenhado e logo nos deu lugar no projeto “Ação Dobradiça”, coordenado por Fernanda Otoni-Brisset, do qual eu tenho o enorme prazer de também fazer parte. A ideia inicial tomou a forma de “Conversações”, a serem realizadas nos diferentes estados brasileiros que contam com sedes da EBP.

O Rio de Janeiro foi o primeiro lugar a dar início ao trabalho, ainda no ano passado, organizando três encontros marcantes, com o apoio da Blooks Livraria, que nos ofereceu não apenas o espaço na capital fluminense, como também muita energia. Essa parceria deu tão certo que nos estendemos para a Blooks de São Paulo, onde também aconteceu uma Conversação em 2015. Esses 4 encontros desenharam o início decidido desta invenção em andamento.

Com eles, notamos que, apesar de mudarmos de tema e de convidados a cada vez, uma questão comum atravessou os encontros: a segregação em seus diferentes desenhos contemporâneos. Foram discutidos temas como “maioridade penal e a lógica do encarceramento”, “violência e vergonha”, “novas organizações sociais” e “sexo e gênero”, todos com suas peculiaridades, mas, ao mesmo tempo, cravados nos dilemas segregacionistas de nosso século. Luiz Eduardo Soares, Pablo Capilé, Cid Merlino e Larte, convidados mais do que especiais, apresentaram falas francas e cheia de aberturas, sem se deixar seduzir pelo que não importa. Fernanda Otoni, Romildo do Rêgo Barros, Isabel do R. B. Duarte e Marcus André Vieira foram os colegas psicanalistas membros da EBP/AMP que toparam sustentar e avançar a partir do que ali apareceu.

A partir daí, a ideia está ganhando força entre psicanalistas ligados à EBP/AMP em outros cantos do Brasil: Minas Gerais, Bahia e Santa Catarina também se lançaram a este trabalho. “Maioridade penal”, “saúde mental”, “medicalização”, “sexo e gênero”… foram discussões que também esquentaram por lá.

Se tudo correr conforme desejamos, essas Conversações vão pipocar em tantos cantos do país, e sobre tantos temas, que não iremos sequer conseguir acompanhar.

No página da “Ação Dobradiça em revista”, cuidadosamente construído por uma dedicada equipe, é possível ter mais notícias sobre o que está rolando. E, a partir de agora, o blog da Subversos também ajudará na divulgação e disseminação deste trabalho, que consideramos tão difícil e valioso. Nos próximos posts será possível acessar por aqui alguns vídeos e comentários sobre como foram os primeiros encontros, já disponíveis no link da “Ação Dobradiça em Revista”.

A próxima “Conversação”, em São Paulo, articulada pela “Diretoria de carteis de intercâmbio da EBP-SP”, já está marcado para o dia 02 de junho. O tema escolhido exige, ao mesmo tempo, muita coragem e muita delicadeza: “O golpe na carne: experiências de jovens na ditadura.”

|

conversações 02-06-2016 (3)

|

Que sigamos assim, com passos decididos, entre a coragem e a delicadeza.

 

Maricia Ciscato,
 na dobradiça – entre a psicanálise e a cidade, entre a edição e a conversação.

 

____________________________________________________________________________

Maricia Ciscato é psicanalista, membro da Escola Brasileira de Psicanálise e sócia fundadora e editora da Subversos Livraria e Editora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: