Casquinha | Zazie no metrô

– Adeus – diz ele com gravidade –, digam ao povo que chispo.

Aperta vigorosamente a mão de Turandot; a emoção que o invade não permite que ele pronuncie outra frase histórica além de “digam ao povo que chispo”, mas o seu olhar se recobre com a melancolia própria dos indivíduos espreitados por um grande destino.

Os outros se recolheram.

Ele saiu. Saiu.

Lá  fora, fareja o vento. Só sente os cheiros de sempre, especialmente os que emanam do La Cave. Não sabe se vai para o norte ou para o sul, pois é assim que a rua está orientada. Mas um chamado transvecta sem hesitações. É Gridoux, o sapateiro, que acena para ele da oficina. Gabriel se aproxima. (Leia mais aqui.)

zazie_gde

Zazie no metrô

Raymond Queneau

Cosac Naify

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: